Caso João Alberto: Carrefour lança edital de R$ 68 milhões para alunos negros

Com a notícia da aquisição, os papéis do Carrefour saltaram mais de 10% na Bolsa brasileira, a B3.
Foto: Divulgação

O Carrefour lançou um edital, no valor de R$ 68 milhões, para conceder bolsas de estudos para estudantes negros. A ação decorre do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado após João Alberto Silveira de Freitas, um homem negro, ser espancado por seguranças da rede até a morte, em 19 de novembro de 2020, em Porto Alegre.

As bolsas de estudo e de permanência serão ofertadas em cursos de graduação, mestrado e doutorado, em instituições de ensino superior públicas e privadas. O valor será dividido entre R$ 20 milhões para alunos de graduação, R$ 30 milhões para mestrandos, e R$ 10 milhões para estudantes de doutorado. Outros R$ 8 milhões serão destinados a alunos de especialização. 

fico
rpb-1
PM Fortaleza1

O edital prevê também que as bolsas sejam concedidas preferencialmente para áreas do conhecimento com baixa representatividade de pessoas negras. Segundo publicação da UOL, 30% do valor deverá ser destinado a cursos de graduação e pós em instituições de ensino do Rio Grande do Sul. 

O restante das bolsas serão ofertadas em outros estados, não sendo válidas para cursos ou programas na modalidade de ensino a distância. O termo foi assinado pela Defensoria Pública do RS, Ministério Público Federal, Ministério Público do RS, Ministério Público do Trabalho, Defensoria Pública da União e Carrefour. 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui