Empresas franqueadoras com preocupação e dificuldade para deixar a Rússia – Por Jackson Pereira Jr

*Coluna de Jackson Pereira Jr. – 16/03/22

As grandes marcas, como Marks and Spencer, Burger King e os grupos hoteleiros Marriott e Accor, operam comercialmente através de complexos acordos que as impedem de desistir das parcerias da noite para o dia, como em virtude dos embargos impostos por seus países ao governo do ditador Putin. Segundo dados publicados pela rede britânica BBC News, juntas, essas empresas têm quase mil pontos ainda em operação na Rússia.

FIEC
fico
rpb-1

Através dos seus contratos, essas empresas multinacionais terceirizaram suas operações para terceiros com o direito de uso de suas marcas através da forma de franquia. Na Russia, como em outros países, muitos dos contratos estão vigentes há décadas, dificultando o encerramento das atividades.

Franchising é um método de negócio de distribuição de produtos ou serviços que envolve um franqueador, o dono do nome da marca, e um franqueado que paga uma taxa pelo direito de fazer negócios e vender seus produtos.

As empresas detentoras das marcas, ao mesmo tempo em que precisam liquidar suas parcerias para obedecerem as determinações dos seus países de origem e, ainda, ficarem bem perante a opinião pública, temem sérias consequências financeiras, correndo o risco de serem processadas pelos franqueados por quebrarem os contratos unilateralmente. Com certeza, no futuro, será uma verdadeira avalanche de processos.

Victoria Hobbs, sócia da Bird&Bird que lida com litígios de franquias, disse à BBC que se um franqueado tiver ligação com o presidente russo, Vladimir Putin, ou se for sancionado pelo seu país, o contrato poderá ser rescindido. No entanto, a advogada disse que, embora os acordos geralmente tenham uma cláusula que afirma que “se o franqueado estiver fazendo algo para prejudicar nossa reputação, podemos rescindir”, o problema atualmente na Rússia é que os franqueados não estão fazendo nada de errado. Eles estão mesmo é sendo obrigados pelas franqueadoras à baixarem as portas.

Um outro ponto à ser levado em consideração é que mesmo se a franqueadora conseguisse uma decisão judicial no seu país de origem contra uma franquia sua ainda em operação na Rússia, os tribunais russos não iriam fazer cumprir.

Confira alguns dados das empresas na Russia:

  • Accor – Com 57 hotéis e 3.500 funcionários, já suspendeu todas as futuras inaugurações e interrompeu os serviços e a distribuição para os hotéis ainda em operação para forçar o fechamento;
  • Burger King – Tem mais de 800 restaurantes abertos;
  • Marriott e IHG Hotels & Resorts – Com 28 hotéis operando, interrompeu todos os investimentos e fechou os escritórios corporativos que controla diretamente em Moscou;
  • M&S – Tem 48 lojas e prometeu mais de 1,5 milhão de libras para apoiar os refugiados e está doando 20.000 casacos térmicos;
  • Yum Brands (dona da KFC e Pizza Hut) – Está finalizando um acordo com seu principal franqueado para interromper as operações.

“A força não provem da capacidade fisica, provem de uma vontade indominavel”, Mahatma Gandhi.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui