Vendas dos microempreendedores cresceram 27% em dezembro

Os dados foram divulgados pelo Índice SumUp do Microempreendedor (ISM). Foto de RODNAE Productions no Pexels

As vendas dos microempreendedores e dos profissionais autônomos tiveram um crescimento expressivo em dezembro de 2021. Esse bom resultado fez com que o último mês do ano fosse o terceiro consecutivo em que foi registrado melhoras nos negócios desses empreendedores. Os dados foram divulgados pelo Índice SumUp do Microempreendedor (ISM), que apontaram ainda o melhor aproveitamento das celebrações de final de ano para aumentarem suas vendas dos microempreendedores.

Em dezembro de 2021, a atividade econômica dessa parcela da população cresceu 27,04% em comparação a novembro do mesmo ano, atingindo 101,93 pontos. Essa é uma boa notícia para o Brasil, uma vez que os micro e pequenos empreendimentos são fonte de renda para mais de 25,4 milhões de pessoas, segundo último levantamento do IBGE, e essenciais para a recuperação da economia nacional.

FIEC
ci-1
rpb-1

Apesar de ter sido o melhor resultado registrado no ano, o volume de negócios ainda está muito abaixo do apurado nos últimos cinco anos e caiu 12,32% em comparação a dezembro de 2020, o que mostra que, mesmo com as medidas econômicas adotadas pelo governo, a situação ainda está aquém da ideal.

“O ISM desenha um retrato dos empreendedores da base da pirâmide social, um grupo essencial para a retomada econômica. O crescimento entre novembro e dezembro de 2021 é animador. Contudo, a queda em relação a dezembro de 2020 mostra que o cenário ainda é desafiador para essa parcela da população”, afirma Carlos Grieco, diretor de meios de pagamento da SumUp.

Renan Pieri, professor da Fundação Getúlio Vargas e um dos responsáveis por formular o índice, aponta o Natal e as festas de final de ano como aliadas para a melhora no ISM ante novembro de 2021. “A economia vem melhorando, ainda que lentamente, desde o segundo semestre do ano passado. Esse avanço fez com que os microempreendedores e autônomos tivessem uma atividade econômica mais intensa no fim do ano. Há também um fator sazonal: dezembro é sempre um mês melhor para o comércio por conta das datas comemorativas”, diz.

Já a queda em relação a dezembro do ano passado está relacionada à inflação. “Embora dezembro tenha sido um período relativamente bom em 2021, em comparação com os outros meses do período, as vendas ficaram aquém das realizadas em anos anteriores. Isso aconteceu por conta do poder de compra dos brasileiros, que caiu muito no ano passado, uma vez que os salários pouco subiram e os custos aumentaram bastante.”

Produzido pela SumUp, fintech de meios de pagamento para micro e pequenos empreendedores, o ISM é construído com base em dados de negócios de profissionais informais, além de MEIs e microempresas de todos os estados brasileiros e de mais de 30 ramos de atividades distintos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui