Energia solar atende a todas as classes de consumo do Brasil

O Brasil chegou oficialmente ao 1º milhão de consumidores com energia solar em telhados e terrenos. A geração própria de energia cresceu 122% no último ano, saltando de 450 mil em janeiro de 2021 para 1 milhão de clientes atendidos em residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

Atualmente, a energia solar atende a todas as classes de consumo do Brasil e é vista como uma grande alternativa para redução de gasto, alívio do orçamento das famílias e aumento da competividade das empresas, já que a conta de luz é um dos maiores vilões da inflação brasileira.

FIEC
ci-1
rpb-1

Em 2021, a tarifa de energia elétrica subiu 21% segundo o IBGE. Esse cenário, que interferiu diretamente na migração de clientes para o sistema solar, deve se repetir em 2022 pelos cálculos da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL).

O lucro médio de quem adere à fonte solar de energia pode variar entre 20% e 35% sobre o faturamento bruto. Com o investimento inicial de R$ 36,6 mil, o franqueado pode atingir o faturamento de R$ 30 mil já no terceiro mês de operação, recuperando o investimento entre 4 e 7 meses.

Rodolfo Meyer, CEO do Portal Solar Franquia, que recebe cerca de 1 mil interessados por mês, explica que a recente criação de uma lei 14.300/22 dará mais segurança aos investidores e consumidores.

De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, a projeção é passar dos atuais 13 GW de capacidade instalada fotovoltaica, somando centralizada e distribuída, para quase 25 GW até o final de 2022, colocando a tecnologia como protagonista na expansão das fontes renováveis no país e no combate as mudanças climáticas.

A entidade projeta que o mercado poderá gerar mais de 357 mil novos empregos e somar R$ 50,8 bilhões em investimentos privados no País ao longo do ano. De acordo com o levantamento, os consumidores que utilizam a energia solar na geração própria representam apenas 1,1% do total de estabelecimentos com conta de luz no país, hoje com 89 milhões de unidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui