Latam assegura fundos para sustentar seu plano de reorganização

No total, a companhia aérea busca injetar US$ 10 bilhões. Foto Aeroin

A partir de um fato relevante protocolado na Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC), o grupo Latam Airlines revelou mais alguns detalhes de seu plano de reorganização. A novidade da vez é que a companhia aérea assinou o contrato de financiamento com seus principais acionistas: o Grupo Evercore, Delta, Qatar e a família Cueto, que lhe permitirão injetar US$ 5,4 bilhões para sua decolagem pós-reorganização.

Em novembro, a Latam divulgou um acordo de apoio à reestruturação. Lá, a companhia aérea concordou com um grupo de credores (Evercore) e com seus principais acionistas o apoio ao plano. Os primeiros prometeram 70% de seus votos a favor da iniciativa; enquanto este último desembolsará até US$ 400 milhões por meio da subscrição de novas ações de integralização no aumento de capital, mas sem direito a qualquer desembolso posterior.

FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

Neste 12 de fevereiro, o segundo passo foi dado: a assinatura do termo de compromisso de endosso (ou BCA, na sigla em inglês). Após esse marco, será marcada uma audiência para aceitar a fórmula proposta em 21 dias. E a partir de então, a Latam deve pedir a seus credores os votos para selar sua saída do Capítulo 11.

Paralelamente, nas próximas semanas a transportadora assinará outros contratos como, por exemplo, os direitos de liquidez de credores e acionistas, entre outros. No total, a companhia aérea busca injetar US$ 10 bilhões na companhia aérea, por meio de uma combinação de capital novo, títulos conversíveis e dívida. Isso permitirá que a Latam tenha a capitalização adequada para executar o plano de negócios no futuro.

Fonte: AeroIn

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui