Investidores acusam dono da Itapemirim de golpe com vendas de criptomoeda

Foto: Divulgacão/ITA

O empresário Sidnei Piva de Jesus, controlador do grupo Itapemirim, tem mais uma crise para gerenciar após a suspensão das operações da ITA Linhas Aéreas. O novo fato é que a empresa é acusada por centenas de investidores, ao lado das empresas Extrading Exchange & Trading Platform e Future Design Solutions Ltda (FDS), de não devolver cerca de R$ 400 mil investidos nas criptomoedas CrypTour, moeda digital lançada em julho deste ano pelo grupo de transporte. A informação é do Congresso em Foco.

De acordo com a matéria, os investidores relatam não ter mais acesso à plataforma da Extrading, que foi retirada do ar, e não conseguem uma simples informação de movimentação e nem fazer resgate.

FIEC
ci-1
rpb-1

Na apresentação do plano de negócio da Cryptour, o objetivo da Itapemirim era vender 30 milhões de tokens ao valor de 1 dólar cada, prospectando, assim, 30 milhões de dólares. Era prometida uma valorização de 600% a cada 1 dólar investido no token nos primeiros seis meses, e 3600% após doze meses.

Ao Congresso em Foco, com exclusividade, Piva negou que a Cryptour seja da Itapemirim, apesar de diversos documentos e vídeos de divulgação do criptoativo explicitarem a relação com a empresa. Um trecho do Whitepaper da CTur, que é um documento oficial da empresa que serve de informe ou guia aos investidores, traz a imagem do empresário e diz claramente que “o projeto CrypTour nasceu como uma iniciativa interna de inovação em tecnologia na Itapemirim Airlines.” Piva também negou qualquer relação com as empresas Future Design Solutions e com a Extrading Extrading Exchange & Trading Platform.

“Entrei em um golpe como vários”, disse Piva, em conversa com a reportagem pelo Whatsapp. “Temos um boletim de ocorrência na delegacia especializada.”Publicidade

Foi solicitado cópia do boletim de ocorrência mencionado pelo empresário mas a reportagem não obteve o documento.

O empresário Luiz Tavares, diretor comercial da Extrading, que aparece ao lado de Piva em vídeos no canal oficial da Cryptour no Youtube desmente o dono da Itapemirim e diz Grupo Itapemirim é sim o dono do negócio. O Congresso em Foco informa ter feito download de todos os vídeos que estão no canal.

Negócios estranhos

Apesar de acumular um prejuízo de R$ 176,33 milhões desde dezembro de 2018, credores pedindo a falência e ter cerca de 4.600 ex-funcionários que aguardam até hoje o pagamento de rescisões, Piva planejou novos voos internacionais. Mesmo em recuperação judicial desde 2016, ele surpreendentemente abriu, em 21 de abril deste ano, uma nova e bilionária empresa no Reino Unido no valor de £780 milhões, quase R$ 6 bilhões na cotação atual.

De acordo com documentos obtidos com exclusividade pelo Congresso em Foco, a SS Space Capital Group UK Ltd tem como atividades econômicas holding de serviços financeiros, fundos de investimento, investimento aberto e fundos de investimentos imobiliários. Sidnei Piva aparece nos documentos registrados no Companies House, agência executiva patrocinada pelo Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial no Reino Unido, como presidente da empresa.

Compra da Itapemirim

Em 2016, a empresa foi comprada pelos empresários Sidnei Piva de Jesus e Camila de Souza Valdívia. Na época, seu ex-controlador, Camilo Cola, disse que a Viação Itapemirim foi vendida, mas a família continuaria no controle. Fato que não aconteceu.

Confira matéria na íntegra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui