País bate recorde com 71% das famílias brasileiras endividadas

A capital do Ceará, Fortaleza, registra um percentual de 75,9% de endividamento. Foto de RODNAE Productions no Pexels

O porcentual de famílias endividadas nas capitais brasileiras bateu recorde no primeiro semestre de 2021. A taxa de 71,4% é a maior da série histórica iniciada em 2010, sendo 15,6% superior à média registrada no mesmo período entre os anos de 2010 e 2020.

Em números gerais, dos 16,8 milhões de lares, quase 12 milhões tinham dívidas no fim de junho. Esse total representa um acréscimo de 733,9 mil famílias em relação ao ano passado e de 1,36 milhão de famílias, se comparado a 2019.

FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

Os dados são da Radiografia do Endividamento das Famílias, realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e mostram um reflexo da volta da confiança dos brasileiros em consumir (e do sistema financeiro em conceder crédito), após um período de consumo represado durante a pandemia, quando as famílias direcionaram os gastos para compra de itens essenciais.

Além disso, as instituições bancárias estavam mais seletivas em decorrência do cenário de incerteza. Também contribuiu para o endividamento recorde o fato de muitos lares terem conseguido economizar, ao deixar de fazer viagens ou outras atividades de lazer por causa do isolamento social.

O estudo demonstra também que, em dois anos, o total de lares com dívidas aumentou 11,5%. Em junho de 2019, o porcentual de famílias brasileiras endividadas nas capitais era de 64,1%. Oito, das 27 capitais, aponta a pesquisa, têm a maior taxa histórica, destacando-se, entre elas, a cidade de Rio Branco, com 92% das famílias declarando ter algum tipo de dívida.

A capital do Ceará, Fortaleza, registra um percentual de 75,9% de endividamento, estando entre as capitais brasileiras que mais se destacaram quando o assunto é endividamento familiar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui