Crédito às famílias segue avançando e deve ter expansão anual de 19,5%

O destaque do mês deverá ser a carteira Pessoa Física, com estimativa de crescimento de 1,8% e ritmo de expansão anual que poderá chegar a 19,5%, o maior desde novembro de 2011 (+19,8%). Foto de cottonbro no Pexels

O saldo total da carteira de crédito deve crescer 1,4% em outubro, registrando o 9º avanço mensal seguido. O bom resultado deve ser impulsionado pela carteira com recursos livres, que segue se beneficiando da reabertura das atividades econômicas. O destaque do mês deverá ser a carteira Pessoa Física, com estimativa de crescimento de 1,8% e ritmo de expansão anual que poderá chegar a 19,5%, o maior desde novembro de 2011 (+19,8%).

As estimativas são da Pesquisa Especial de Crédito da FEBRABAN, divulgada mensalmente como uma prévia da Nota de Política Monetária e Operações de Crédito do Banco Central. As projeções são feitas com base em dados consolidados dos principais bancos do país, que representam de 39% a 89% do saldo total do Sistema Financeiro Nacional, dependendo da linha de crédito, além de outras variáveis macroeconômicas que impactam o mercado de crédito.

FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

Rubens Sardenberg, diretor de Economia, Regulação Prudencial e Riscos da Federação Brasileira dos Bancos (FEBRABAN), destaca que, no crédito destinado às famílias, a alta deve ser puxada pela carteira livre, que deverá expandir 2,1%.

“A pesquisa mostra uma oferta de crédito bastante positiva no último trimestre do ano, refletindo o maior consumo das famílias devido à reabertura das atividades econômicas, que favorecem especialmente as linhas ligadas ao consumo, como crédito pessoal e cartão de crédito. Também constatamos um avanço importante na carteira Pessoa Física direcionada, que deve crescer 1,6%”, destaca.

Apesar das estimativas de crescimento para o mês, Sardenberg ressalta que a elevada base de comparação deve fazer com que o ritmo de expansão anual da carteira total de crédito mostre ligeira desaceleração, de 16,0% para 15,8%. “Ainda assim, estamos em um patamar bastante elevado, sinalizando que a oferta de crédito flui em um ritmo bastante forte, contribuindo para a retomada da atividade econômica.”

De acordo com a pesquisa, a carteira Pessoa Jurídica deve apresentar uma alta mais modesta, de 0,7%, com dinâmica diferente entre os recursos. Do lado positivo, a carteira livre deve mostrar expansão mensal de 1,5%, mesmo diante da sazonalidade negativa das linhas de fluxo de caixa, registrando o melhor resultado para o mês desde 2010 (+1,5%). Já a carteira direcionada deve retrair 0,7%.

Apesar do avanço da carteira Pessoa Jurídica, a estimativa é de uma nova acomodação no ritmo de expansão em 12 meses, que deve recuar de 11,6% para 11,1%, mais uma vez refletindo o término dos programas emergenciais e a retomada das captações das grandes empresas no mercado de capitais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui