Apesar da reabertura das lojas, e-commerce continuará crescendo

Os dados globais da Criteo mostram que as vendas no varejo online aumentaram 22% no início de dezembro de 2020 em comparação com o ano anterior.
Os dados globais da Criteo mostram que as vendas no varejo online aumentaram 22% no início de dezembro de 2020 em comparação com o ano anterior.

A pandemia afetou o mundo de várias maneiras, mas também mostrou que as pessoas podem se adaptar rapidamente às situações mais inimagináveis graças à tecnologia. Essa foi a essência de um novo relatório da Criteo, empresa de tecnologia global que fornece a plataforma de commerce media líder mundial. A pesquisa revela que os consumidores adotaram novos comportamentos em questão de meses ao longo do Covid-19 e acabaram fazendo com que o varejo se tornasse cada vez mais digital. 

Os dados globais da Criteo mostram que as vendas no varejo online aumentaram 22% no início de dezembro de 2020 em comparação com o ano anterior. “O número é impressionante, pois este é um momento em que as vendas já estão em seu maior nível anual em todos os canais e as lojas físicas já estavam reabrindo em muitos países com medidas adicionais de segurança”, afirma Tiago Cardoso, diretor geral para América Latina, da Criteo.

FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

De acordo com o relatório, o consumidor não irá abandonar seus novos hábitos de compra digital adquiridos na pandemia mesmo com a reabertura total das lojas físicas. “O comércio eletrônico continuará forte globalmente. Onde a situação da COVID-19 for estável, as pessoas farão uma mistura de compras físicas e online, e sua dependência do comércio eletrônico para compras sazonais, como Black Friday e Natal, continuará a crescer”, acrescenta Cardoso. 

A integração entre vendas presenciais e online é uma forte tendência para a temporada de compras de fim de ano e à medida que avançamos para 2022. A pesquisa da Criteo indica que os consumidores gostam de ter as duas opções – e tendem a comprar com mais frequência de varejistas com presença omnichannel. Quem tende a comprar nos dois também realiza mais transações do que outros consumidores, e essa frequência aumentou no último ano. No primeiro semestre de 2021, esses consumidores concluíram uma média de 3,8 transações em 90 dias, em comparação com 3,3 antes da pandemia.

Outra tendência nas compras de final de ano é a chamada mentalidade de “comércio constante”, em que o consumidor está sempre pensando na próxima compra. Em 2020, esse fenômeno ganhou força quando as pessoas passaram a ficar mais tempo em casa conectadas à internet, proporcionando inúmeras maneiras de descobrir, pesquisar e comprar produtos online.

“Durante esta época do ano, quando os consumidores estão pensando em celebrações e os varejistas estão oferecendo seus melhores negócios, a mentalidade de ‘comércio constante’ será uma tendência ainda maior para os profissionais de marketing prestarem atenção, pois isso significa mais oportunidades de alcançar os consumidores em suas diversas paradas no caminho da compra”, diz Cardoso.

De fato, o relatório revela que os consumidores passam semanas decidindo sobre suas compras sazonais. Em média, um novo cliente nos EUA e no Reino Unido leva duas semanas para fazer uma compra do primeiro ponto de contato com o produto até a Black Friday – e o tempo é ainda maior em outros países. Isso lhes dá oportunidades infinitas de encontrar novas opções, e essa descoberta não se limita à pesquisa e às mídias sociais.

A pesquisa da Criteo realizada com mais de 9.000 consumidores em vários países em 2021 mostrou que as principais maneiras de encontrar novos produtos para comprar são em sites de pesquisa (39%), lojas físicas (33%), sites de marca e aplicativos (32%), sites e aplicativos de varejo (29%) e anúncios online (26%). “Quando dividimos os dados por país e categoria de produto, todos os cinco canais ainda têm grande influência no início da trajetória de compra”, diz Cardoso. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui