Startup que auxilia empresas a recuperarem crédito de devedores localizou mais de R$ 6 bi em patrimônio durante a pandemia

Para localizar o patrimônio de devedores, a empresa conta com a inteligência artificial, além de ferramentas tecnológicas próprias e inovadoras.

Recuperação de crédito
Para localizar o patrimônio de devedores, a empresa conta com a inteligência artificial, além de ferramentas tecnológicas próprias e inovadoras. (Foto: Andrea Piacquadio/Pexels)

Recuperar crédito no Brasil sempre foi uma tarefa difícil: além do tempo e da burocracia, aliada à ineficiência e demora no que tange à papelada e processos, há os altos níveis de inadimplência e a insegurança jurídica. Tanto é que, para tentar reverter este cenário, foi lançado o Indicador de Recuperação de Crédito, pela Serasa Experian, que exibe o percentual de dívidas pagas, a jornada de crédito de maneira integral, os números de negativação e a sua eventual recuperação.

Com a pandemia da Covid-19, cujos impactos ainda afetam o mercado global, bem como a disparada do dólar, o aumento dos combustíveis, o alto índice de desemprego e o abrupto impacto financeiro no fluxo de caixa das empresas de diversos setores da economia, o número de pedidos de recuperação judicial aumentou 50% em agosto, de acordo com o Indicador de Falências e Recuperação Judicial da Serasa Experian, chegando na casa dos 111, contra os 74 do mês anterior, registrando o maior número de solicitações desde o início de 2021.

FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

 

Valdo Silveira, CEO da Leme Inteligência Forense.
 

Com o propósito de dar assistência aos credores com dificuldades acerca de localização do patrimônio de devedores, desde o início da pandemia no Brasil, a Leme Inteligência Forense, de Curitiba, já localizou mais de R$ 6 bilhões em patrimônio, auxiliando, assim, empresas que buscam recuperar seu crédito. “Para isso, realizamos uma investigação patrimonial para que, além de termos a oportunidade de localizar o patrimônio do devedor, também consigamos identificar evidências se houve fraude ao credor e, assim, auxiliar nossos clientes na estratégia para a recuperação de crédito”, comenta o CEO da Leme Inteligência Forense, Valdo Silveira.

Para executar o serviço de inteligência, a startup especializada no assunto utiliza ferramentas tecnológicas próprias e inovadoras com estruturas em IA, Big Data, e Machine Learning, desde o começo do processo, com destaque para as análises preliminares do devedor, como a coleta de dados gerais, cujo resultado costuma ser apresentado em formato de “relatório de indícios e evidências”, contendo endereço, dados de participações societárias e até um diagrama de vínculos pessoais, empresariais e familiares.

“Embora a tendência seja que na fase de análise para concessão de crédito já tenham sido coletadas informações, fornecidas diretamente pelo tomador/devedor, é importante validá-las em bases de dados disponíveis. Importante destacar que, dentro dos ditames da Lei Geral de Proteção de Dados, o setor de recuperação de crédito se enquadra na hipótese do legítimo interesse, estando em perfeita conformidade tal coleta, desde que respeitada a forma de tratamento”, salienta Silveira.

Neste sentido, ele alerta que os departamentos de cobrança massificados, os quais, por mais especializados e bem estruturados que sejam, normalmente enfrentam dificuldades no gerenciamento de buscas extrajudiciais, pois estas exigem muito mais acompanhamento que pedidos realizados em juízo. “Para esse fim, existem plataformas que facilitam a promoção das buscas, com uma gestão completa do processo de solicitação e encaminhamento da documentação resultante em âmbito nacional, o que faz com que o credor tenha o trabalho apenas de apontar a direção, as ferramentas tecnológicas que desenvolvemos e utilizamos em nossos projetos de investigação – Plataforma de Busca de Ativos -, são disponibilizadas aos nossos clientes para que eles mesmos possam investigar seus devedores”, finaliza o empresário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui