Lupo entra com pedido de IPO na CVM

A emissão de recursos será primária, com recursos indo para o caixa da empresa centenária, e secundária, com venda de ações dos sócios.
A emissão de recursos será primária, com recursos indo para o caixa da empresa centenária, e secundária, com venda de ações dos sócios. (Imagem de Csaba Nagy por Pixabay)

Nesta quarta-feira, 18, a Lupo, fabricante de artigos esportivos, meias e cuecas, anunciou que entrou com um pedido na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), para uma oferta inicial de ações (IPO). De acordo com a empresa, os recursos captados serão usados para financiar fusões e aquisições, além de bancar investimentos para o crescimento da mesma. 

A emissão de recursos será primária, com recursos indo para o caixa da empresa centenária, e secundária, com venda de ações dos sócios. As informações foram divulgadas pelo site Broadcast.

FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

Entre os vendedores da oferta secundária, está a presidente da empresa, Liliana Aufiero, neta do criador da Lupo, o imigrante italiano Henrique Lupo, que fundou a empresa na cidade de Araraquara, no interior de São Paulo há 100 anos. 

Ainda de acordo com as informações, a executiva tem 5,8% da companhia e está há mais de 35 anos na empresa, sendo descrita no prospecto como a responsável pela transformação da marca, mas está em processo de saída do cargo.

A Lupo está presente em todo o País, por meio de 481 franquias, uma loja própria detida pelo grupo, mais de 39.000 pontos de vendas e 202 lojas dentro do varejo multimarcas, além de uma plataforma de e-commerce. São quatro marcas, incluindo Lupo Sport, Scala e Trifil.

A empresa planeja aumentar a presença da Lupo Sport, marca criada em 2010 focada em artigos esportivos. “Acreditamos que o segmento de artigos esportivos possui um grande potencial de expansão, reforçado pelas tendências atuais de saúde e bem-estar”, ressalta o prospecto. A empresa informa ainda estar sempre monitorando o mercado em busca de potenciais fusões e aquisições. A única que a empresa fez até agora é da Scalina, em 2016, dona da marca Trifil.

A Lupo teve receita consolidada líquida de R$ 313 milhões no segundo trimestre, comparado a R$ 76 milhões no mesmo período de 2020, período marcado pela aceleração da pandemia de covid-19. Em 2020, o lucro bruto somou R$ 188 milhões, queda de 31% ante o ano anterior.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui