Seminário aborda a Regulamentação do Mercado de Crédito de Carbono no Brasil

Os créditos de carbono são originários de projetos de redução ou remoção dos gases do Efeito Estufa da atmosfera. Essa redução é quantificada (em toneladas de gases) e convertida em títulos, que podem ser negociados com governos, empresas ou mesmo pessoas físicas.
Os créditos de carbono são originários de projetos de redução ou remoção dos gases do Efeito Estufa da atmosfera. Essa redução é quantificada (em toneladas de gases) e convertida em títulos, que podem ser negociados com governos, empresas ou mesmo pessoas físicas.

O Centro de Estudos de Infraestrutura & Soluções Ambientais da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP) promoverá um webinar gratuito sobre a Regulamentação do Mercado de Crédito de Carbono no Brasil nesta terça-feira, 3 de agosto de 2021, às 14h, no canal da FGV no Youtube.

Os créditos de carbono são originários de projetos de redução ou remoção dos gases do Efeito Estufa da atmosfera. Essa redução é quantificada (em toneladas de gases) e convertida em títulos, que podem ser negociados com governos, empresas ou mesmo pessoas físicas. Já existem projetos voluntários de compensação de carbono, mas um mercado nacional organizado pode aumentar a segurança jurídica e reduzir riscos como a dupla contagem de títulos.

FIEC
Ouvidor Online
ci-1
rpb-1

Está em tramitação na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei (PL) nº 528/21 que institui o Mercado Brasileiro de Redução de Emissões (MBRE). O objetivo do MBRE é regular a compra e venda de créditos de carbono no país, e sua instituição estava prevista na Política Nacional de Mudança do Clima (Lei nº 12.187/09).

Participam do debate: Tiago Ricci e Rodolpho Santos, sócios na RSA Advogados e Claudia Orsini, especialista em Saneamento. A moderação fica por conta do professor Gesner Oliveira, coordenador do Centro de Estudos de Infraestrutura & Soluções Ambientais da FGV.

Os interessados em participar devem se inscrever pelo site.

 

Fonte: FGV

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui