Tendências da cadeia de abastecimento no Pós-Covid – Por Domingos Cordovil

*Coluna Semanal – Por Domingos Cordovil – 09/06/21

Riscos de ruptura

FIEC
Ouvidor Online
rpb-1
pw-1
FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

Apesar da grande preocupação diante da pandemia, seja do consumidor final ou do varejo, é que, em algum momento, haja ruptura na cadeia de abastecimento. As industrias não pararam, mas o preço de alguns insumos como embalagens dispararam, o que exige uma grande atenção da indústria em relação a orçamentos de compra, liquidez e rentabilidade. 

Produtos em alta

Com a pandemia, o consumidor mudou seus hábitos e, naturalmente, novos produtos passaram a fazer parte da sua cesta de compras. Além do álcool em gel e das máscaras, outros itens ganharam espaço. Como produtos premiuns como temperos, especiarias, vinhos, castanhas, seguindo a retomada da tendência do “prazer de cozinhar em casa”, o que movimentou as gôndolas. Nesse cenário, é fundamental que varejista conte com bons parceiros para trabalhar com o sortimento ideal para o seu tipo de loja.

Acesse Nosso Canal Telegram.

Canais de compra em ascensão

O isolamento social fez com que alguns canais de compra ganhassem a preferência do consumidor, a exemplo do e-commerce e do pequeno e médio varejo. Em função do isolamento, as pessoas têm dado preferência ao varejo próximo de casa. Por serem lojas menores, o consumidor espera encontrar menos aglomerações e, portanto, fazer suas compras com mais segurança. 

Gestão baseada em dados confiáveis

Estruturar fontes de dados é fundamental para agir rapidamente e entender novas demandas. O volume de dados que se reúne num negócio durante dois ou três dias não significa nada se não estiverem corretos e estruturados. Informação é algo fundamental para direcionar o dia a dia. O compartilhamento de dados entre distribuidores, indústrias e varejo faz com que as reações ao mercado sejam mais rápidas. 

Força do PDV e compras baseadas no SELL OUT

Pela busca para cumprir orçamentos de compra, o varejo tem buscado reduzir os estoques daquilo que pode, baseando a cada dia mais as compras pelo giro no pdv e fracionando os pedidos para baixar os estoques, o que vai exigir do mercado das industrias e distribuidores um trade marketing forte para fazer o produto girar no ponto de venda, assim como uma logística eficiente.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Economic News Brasil. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui