Fortaleza e Natal: projeto aposta no turismo integrado entre as duas capitais

O projeto  foi desenvolvido em 2019 para ser lançado em 2020 e estava parado devido à pandemia, mas foi retomado há poucos meses e elaborado levando em conta os cuidados necessários quanto à biossegurança de viajantes e trabalhadores do turismo. 
O projeto  foi desenvolvido em 2019 para ser lançado em 2020 e estava parado devido à pandemia, mas foi retomado há poucos meses e elaborado levando em conta os cuidados necessários quanto à biossegurança de viajantes e trabalhadores do turismo. 

Com o objetivo de fortalecer o turismo entre as duas capitais nasce o projeto Rota do Sol Nordeste – Turismo Integrado Fortaleza/ Natal. A ação, que também inclui Canoa Quebrada (CE) e Pipa (RN), tem data de lançamento marcada para dia 15 de junho, em Natal, e 17 do mesmo mês, em Fortaleza, e reúne as secretarias municipais de Turismo e as prefeituras dos municípios envolvidos.

O projeto  foi desenvolvido em 2019 para ser lançado em 2020 e estava parado devido à pandemia, mas foi retomado há poucos meses e elaborado levando em conta os cuidados necessários quanto à biossegurança de viajantes e trabalhadores do turismo.

FIEC
Ouvidor Online
ci-1
rpb-1

“Esse é um projeto inovador, pois é a primeira vez que duas capitais se unem pra se promoverem juntas, ao invés de disputarem o mesmo turista”, ressalta Alexandre Pereira, secretário do Turismo de Fortaleza. “No final de 2019, fui a Natal levar a ideia ao secretário Fernando Fernandes, que não só acolheu, como se entusiasmou com o projeto. Também apresentei a ideia ao ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, que manifestou interesse em tornar essa uma política pública no País”, acrescenta.

As ações consistem em um pacote de uma semana de viagem incluindo Fortaleza e Natal. A ideia é que o turista inicie a viagem por uma das capitais e volte para casa pela outra. De acordo com Alexandre Pereira, o projeto foi inspirado nas experiências dos países europeus, onde é muito comum o turista chegar no continente por um país e sair de lá por outro.

Para o secretário municipal do Turismo de Natal, Fernando Fernandes, o projeto também vai ajudar a impulsionar a economia, que vem sofrendo grandes perdas neste período de controle das atividades. “Sabemos que o turismo foi o primeiro setor a sentir o impacto da pandemia. Essa ideia surgiu antes de tudo isso, mas hoje vemos que ganhou força, pois há uma demanda maior por viagens internas”, observa. “Por outro lado, o projeto impulsionará a economia nesses municípios, onde o profissional de turismo está ávido por voltar a trabalhar como antes”, conclui.

O projeto também já conta com um roteiro detalhado, com sugestões de passeios diversificados, indo do turismo de aventura ao de contemplação, compras, ecologia e balada, entre outros. E prevê ainda a divulgação do produto em feiras, road trips e outros eventos.

Para Bismarck Maia, prefeito de Aracati, onde fica a Praia de Canoa Quebrada, mais cedo ou mais tarde as coisas irão normalizar e é preciso estar preparado para a retomada. “Normalmente, sem pandemia, o movimento de turistas de Canoa Quebrada é praticamente a metade do movimento de cinco agências bancárias. Isso hoje está parado”, conta. “Mas estamos convencidos de que vamos voltar a ser o que éramos antes e esse projeto é uma importante iniciativa nesse sentido”, avalia.

Lavoisyer Macena, secretário do Turismo de Tibau do Sul (RN), que engloba a Praia da Pipa, ressalta que os quatro destinos estão entre os mais buscados no Nordeste por turistas nacionais e estrangeiros. “Nossas belezas naturais, estrutura hoteleira, gastronômica e a forma em que nossa gente acolhe turistas do Brasil e do mundo, são características ideais para tornar esse projeto uma importante ferramenta na retomada econômica”, avalia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui