Startup de energia solar abre rodada de captação para investimento e financiamento coletivo

Startup de energia solar se abre para investimento por meio do financiamento coletivo.
Startup de energia solar se abre para investimento por meio do financiamento coletivo.

Atualmente, a produção de energia por meio de sistemas renováveis representa 83% de toda a matriz energética do país. Com isso, o Brasil já ocupa o terceiro lugar no ranking mundial de produção de energia renovável, ficando atrás, somente, da China e Estados Unidos. Modelo de energia sustentável em muitos países, a energia solar ainda briga para ganhar força no Brasil, mesmo sendo considerada uma fonte ecológica e eficiente de gerar energia limpa.

Em 2020, mesmo com a pandemia, o setor de energia solar alcançou o crescimento em potência instalada esperado para a geração centralizada (GC), ultrapassando a marca de 3 GW, batendo recorde de investimentos com R$ 13 bilhões. A expectativa é que durante este ano de 2021 seja investida a quantia de R$ 22,6 bilhões ao redor do país.

FIEC
Ouvidor Online
rpb-1
pw-1
FIEC
ci-1
rpb-1
rpb-1

É diante deste crescimento acentuado do uso de energias renováveis e das boas projeções para o mercado, durante o ano de 2021, que a startup de energia solar por assinatura, Solar21, anunciou a abertura de uma rodada de captação de 2,9 milhões de reais, por meio da plataforma de crowdfunding SMU Investimentos. A intenção é ampliar um modelo de assinatura de placas solares também para o segmento residencial.

De acordo com as informações da Exame Vest, está a terceira vez que a empresa participa de uma oferta pública. Na primeira vez, em 2018, captou cerca de R$ 500 mil pela plataforma Kria, e na segunda, em 2020, a empresa levantou R$ 1,2 milhão pela Bloxs, ambas plataformas de crowdfundig (financiamento coletivo).

Esta modalidade de financiamento ocorre da seguinte forma: os investidores recebem um retorno mensal a partir dos resultados da startup ou por participação nas ações. No caso da Solar21, o retorno vai acontecer no valor dos alugueis dos equipamentos, serviço já prestado pela empresa. Em paralelo, a empresa também mantém uma oferta privada de 4 milhões de reais através de fundos de Venture Capital.

A startup Solar 21 foi criada em 2017 pelo engenheiro eletricista, Vinicius Ferraz. O empresário explica que se inspirou e Elon, CEO da Tesla e fundador da empresa de energia solar SolarCity, para criar a Solar21. Nesse modelo de aluguel solar, a contratação de painéis solares dispensa um investimento inicial para a compra do produto, e as placas são instaladas pela companhia – que também se responsabiliza por manutenções periódicas, caso necessário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui