Essa é a terceira — e maior — rodada de aportes na corretora.
Essa é a terceira — e maior — rodada de aportes na corretora.

A corretora Warren, liderada por Tito Gusmão, acaba de receber mais um aporte milionário. É o maior cheque já recebido pela fintech brasileira: R$ 300 milhões, vindos de um grupo liderado pelo GIC, o fundo soberano de Singapura. Ribbit Capital, QED Investors e Kaszek Ventures também participaram dessa rodada.

Ao oferecer produtos personalizados e carteiras que se adequam ao perfil e aos objetivos dos clientes, a plataforma rapidamente ganhou espaço na concorrida arena dos investidores pessoa física.

Slider
A injeção de capital acontece em meio a uma aceleração no número de pessoas buscando investimentos com maior potencial de retorno, como reflexo de uma taxa básica de juros em patamares baixos —atualmente em 2,75% ao ano. A quantidade de investidores pessoa física na Bolsa, por exemplo, saltou de 2,2 milhões em março de 2020 para 3,5 milhões no mesmo mês deste ano.

Essa é a terceira — e maior — rodada de aportes na corretora. Em 2019, foram R$ 25 milhões; no ano passado, outros R$ 120 milhões. Aliás, o ano de 2020 marcou um salto para a Warren: com uma oferta maior de produtos e serviços financeiros em seu portfólio, o total de ativos sob gestão passou de R$ 500 milhões para R$ 5 bilhões. A expectativa é chegar aos R$ 10 bilhões até dezembro.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui