O Confef defende que os Profissionais de Educação Física podem atuar em equipes multiprofissionais e multidisciplinares na prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde.
O Confef defende que os Profissionais de Educação Física podem atuar em equipes multiprofissionais e multidisciplinares na prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde.

Diante da ação judicial que tramita na 17ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal, proposta pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, o Conselho Federal de Educação Física emitiu uma nota de esclarecimento.

O Confef defende que os Profissionais de Educação Física podem atuar em equipes multiprofissionais e multidisciplinares na prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde. E a ação, dentro dos limites de sua atuação nas áreas de atividades físicas e do exercício físico, objetivando a saúde e o bem-estar do paciente, não seria ilegalidade, e sim atuação conforme dispõem os artigos 7º, inciso I da Lei nº 8.080/1990 e 3º da Lei nº 9.696/1998, indo de encontro ao argumento do  Coffito, em 06 de abril de 2021. Após análise e decisão dos embargos, ainda poderão os respectivos Conselhos interporem recurso de apelação.

Slider

NOTA OFICIAL DO CONFEF

Em setembro de 2020, o Coffito propôs uma ação civil pública para que o Judiciário declarasse nula a Resolução Confef nº 391/2020, que dispõe sobre o reconhecimento e a definição da atuação e competências do Profissional de Educação Física em contextos hospitalares, por entender que a mesma viola a Lei 9.696/1998 e o Decreto-Lei 938/1969.

Em 11 de março de 2021, o Juízo da 17ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal declarou ilegal as disposições contidas nos artigos 3º, 4º e 7º da Resolução Confef nº 391/2020, suspendendo os efeitos dos mesmos. 

O Coffito, em 06 de abril de 2021, opôs embargos de declaração para que fosse declarada, também, a ilegalidade do art. 2º, caput e art. 6º da Resolução mencionada.

Com isso, o Confef, em 07 de abril de 2021, opôs embargos de declaração, defendendo que os Profissionais de Educação Física podem atuar em equipes multiprofissionais e multidisciplinares nos campos da prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, dentro dos estritos limites de sua atuação nas áreas de atividades físicas e do exercício físico, objetivando a saúde e o bem-estar do paciente, conforme dispõem os artigos 7º, inciso I da Lei nº 8.080/1990 e 3º da Lei nº 9.696/1998.

Após análise e decisão dos embargos opostos, ainda poderão os respectivos Conselhos interporem recurso de apelação. 

Desta forma, não há, neste momento, decisão terminativa do processo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui