A ideia é integrar óculos de realidade aumentada e virtual com ferramentas de controle, como a pulseira com um sensor no pulso que permite ler sinais elétricos que passam pelos músculos, possibilitando a recolha de informação sobre intenção dos usuários.
A ideia é integrar óculos de realidade aumentada e virtual com ferramentas de controle, como a pulseira com um sensor no pulso que permite ler sinais elétricos que passam pelos músculos, possibilitando a recolha de informação sobre intenção dos usuários.

O Facebook anunciou planos em relação a gadgets de realidade virtual aumentada. Segundo a companhia, para os próximos 10 anos, o objetivo é desenvolver óculos e pulseiras capazes integrar elementos digitais com objetos e cenários reais. A ideia é substituir os smartphones no longo prazo. A substituição seria por uma interface confiável, fácil de usar e que permitisse estar presente no mundo real ao mesmo tempo que lida com soluções de computação apresentadas via realidade aumentada. Confira a simulação pelo vídeo.

Slider

A ideia é integrar óculos de realidade aumentada e virtual com ferramentas de controle, como a pulseira com um sensor no pulso que permite ler sinais elétricos que passam pelos músculos, possibilitando a recolha de informação sobre intenção dos usuários.

Se você estiver cozinhando, a inteligência artificial poderá entender que precisa de um cronômetro. Esse relógio surgiria como parte da realidade aumentada e acionado com movimento dos dedos, junto de outros dispositivos visuais.

É possível ter aplicações diversas, mas que são adaptadas aos usuários e sua maneira de interação. O protótipo apresenta um modelo de teclado inteligente e “invisível” — o usuário realiza os movimentos de digitação e o algoritmo entende que ele estaria digitando como se estivesse sobre um teclado físico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui