"Ser Profissional de Educação Física é orientar as escolhas certas, é fazer com que cada pessoa saiba do seu potencial para alcançar os objetivos. Somos essenciais para construir uma Sociedade com mais Saúde, ativa, feliz e consciente sobre a necessidade de inserir na rotina os hábitos saudáveis.  Promover a qualificação didática, pedagógica, técnica, científica e de gestão profissional, nas áreas da Atividade Física, Esporte, Educação e Saúde."

Neste domingo, o quadro Um Olhar Sobre as Profissões entrevista Claudio Boschi. O profissional de Educação Física é formado pela Escola de Educação Física da Universidade Federal de Minas Gerais, Pós-Graduado em: Administração Pública, Legislação Tributária, Treinamento Desportivo. Também tem formação em Direito, pela Pontifica Universidade Católica de Minas Gerais, e Doutorado na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto.  Empresário, Consultor em Administração Esportiva, Consultor em Legislação Esportiva, Boschi também é Presidente do Conselho Federal de Educação Física – CONFEF.

  1. Por que você decidiu por essa área? Quais foram os critérios?

Eu escolhi a Educação Física por conta da minha afinidade e experiência com a disciplina, bem como pela maestria dos meus professores de Educação Física do Colégio Municipal de Belo Horizonte, que despertaram em mim todo o interesse e dedicação pela área. Eles marcaram a minha vida profissional e, posteriormente, a pessoal, pois dos meus cinco padrinhos de casamento, três foram meus professores de Educação Física.  

Slider
  1. Existe alguma história sua interessante na faculdade ou durante os anos de experiência relacionada à profissão? Algo peculiar ou memorável?

A jornada tem sido longa, e, portanto, repleta de histórias, estórias e “causos mineiros”. Uma situação muito peculiar foi a disponibilidade e galhardia de todos quando do início dos trabalhos de implantação da CREF6/MG, e, neste sentido, lembramos de uma situação, que hoje pode ser hilária, mas que ressalta bastante o denodo de então. Numa das inúmeras viagens, estávamos em quatro Conselheiros rumo à Zona da Mata mineira, e, tivemos o contratempo de furar três pneus ao mesmo tempo. A solidariedade dos motoristas nos levou a um posto/borracheiro distante por volta de 20 quilômetros, e, não perdemos o horário do compromisso assumido com uma Instituição de Ensino Superior por ocasião de Homenagem ao querido e eterno Paulo Roberto Bassoli – fundador e Conselheiro Federal.

  1. Como você avalia a situação atual do profissional?

Entendo que existem dois momentos atuais: um antes e outro pós-pandemia. Este cenário que considero antes e também atual, são todas as conquistas que a categoria conseguiu até aqui, a ampliação do campo de intervenção, o reconhecimento profissional e as oportunidades que surgiram para o profissional depois da regulamentação e criação do Sistema CONFEF/CREFs. Fica muito evidente para nós, que a partir do momento em que a profissão passou a ser regulamentada e fiscalizada, ela passa a ser vista com outros olhos, tem-se maior credibilidade pelos serviços que são prestados, as pessoas passaram a enxergar os profissionais com mais valor e essenciais para a promoção do bem-estar e qualidade de vida.

Quanto à atualidade, não apenas os Profissionais de Educação Física, mas toda a sociedade está passando por um momento atípico. Devido à pandemia da COVID-19, os Profissionais de Educação Física precisaram modificar a forma de prestar seus serviços, utilizando a tecnologia para continuar o trabalho de promoção da saúde, por meio de aulas online, contato telefônico, vídeos de orientação e consultorias por meio da internet.

As consequências da pandemia refletiram no trabalho da nossa categoria, já que a presença, o contato e a proximidade são a essência da Educação Física. Neste novo contexto, podemos ver que nossa profissão demonstra superação e resistência diante de desafios e mudanças.

O Sistema CONFEF/CREFs não está medindo esforços para proteger e valorizar os profissionais, estabelecimentos e todos que estão relacionados com a Educação Física neste período.  Tempos melhores virão, e o protagonismo da Educação Física na promoção da Saúde vai continuar.

  1. Existe valorização? Como o profissional pode estar sempre se atualizando? Qual a importância disso e a relevância da profissão?

O compromisso da Educação Física com a população é reconhecido por toda a sociedade. Estamos incluídos, entre outros, no grupo de Profissões da Saúde, o que nos torna responsáveis por atuar em um contexto de prevenção de doenças, orientando à população quanto à adoção de hábitos saudáveis. Ao lado de outros profissionais, podemos estabelecer ações, estratégias e caminhar unidos rumo à promoção de mais bem-estar e preservação da Saúde Pública.

Os convênios, cursos, palestras e congressos realizados pelos CREFs e entidades parceiras visam beneficiar a sociedade com profissionais de Educação Física atualizados e eticamente comprometidos. A constante atualização e educação continuada contribuem para a valorização e devem estar presentes durante toda a vida profissional.

  1. Quais foram as principais conquistas da categoria nos últimos anos?

São 22 anos de profissão regulamentada e inúmeras conquistas. Entre elas, podemos destacar a inclusão do Profissional de Educação Física entre as categorias de profissionais da Saúde pelo Conselho Nacional de Saúde; Inclusão da obrigatoriedade da Educação Física na Educação Básica pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB); Inclusão do Profissional de Educação Física na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO); Criação da Frente Parlamentar em Defesa da Atividade Física para o Desenvolvimento Humano no Congresso Nacional; Sanção da Lei que institui o Dia do Profissional de Educação Física; Inclusão do Profissional de Educação Física nas Equipes de Saúde da Família do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF); Inclusão do Profissional de Educação Física na tabela de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES) para atuação no serviço de atenção Psicossocial do Ministério da Saúde; Participação efetiva do Sistema CONFEF/CREFs no Fórum dos Conselhos Federais da Área da Saúde (FCFAS); entre tantos outras.

  1. Como os conselhos podem atuar em prol da profissão?

Os Conselhos de Classe são autarquias federais criadas por meio de lei com o objetivo de orientar e fiscalizar o exercício profissional, as entidades prestadoras de serviço na área, além de regulamentar as atividades pertinentes à intervenção profissional.

A sua atuação garante benefícios como: Defesa da sociedade nos serviços prestados em atividade física e desporto; Qualidade do serviço prestado na área de atividades físicas e esportivas; Valorização do Profissional de Educação Física e dos estabelecimentos; Segurança nos campos jurídico e administrativo a estabelecimentos, profissionais e estagiários de Educação Física; Restrição do exercício ilegal da profissão; Combate à concorrência ilegal e desleal no setor; Aumento de vagas de trabalho e estágio; Publicidade de incentivo à prática orientada de exercícios físicos; Conquistas jurídicas e impedimento de criação de leis que prejudiquem a profissão.

Aos Profissionais de Educação Física, a atuação do Sistema CONFEF/CREFs possibilita: Qualidade do serviço prestado na área de atividades físicas e esportivas; Valorização do Profissional de Educação Física e dos estabelecimentos;  Segurança nos campos jurídico e administrativo a estabelecimentos, profissionais e estagiários de Educação Física; Restrição do exercício ilegal da profissão; Combate à concorrência ilegal e desleal no setor; Aumento de vagas de trabalho e estágio; Publicidade de incentivo à prática orientada de exercícios físicos; Conquistas jurídicas e impedimento de criação de leis que prejudiquem a profissão; entre outros.

  1. Desde que assumiu a presidência, pode destacar quais as principais ações?

Assumimos a Presidência do CONFEF recentemente e, com responsabilidade e serenidade, estamos promovendo uma reestruturação dos processos. Estamos trabalhando ainda dentro uma transição da gestão anterior para a nossa, e tão logo esta fase seja cumprida, estaremos colocando em prática as propostas idealizadas na plataforma eleitoral, com ênfase para a unicidade das ações e integralidade do Sistema CONFEF/CREFs em prol do crescimento e valorização da profissão, assim como estreitar os nossos laços com os diversos segmentos da sociedade, para somar ideias e esforços visando uma atuação efetiva.

  1. Quais as perspectivas de projetos futuros?

As propostas para a gestão estão divididas em três grandes blocos com ramificações. São eles: Defender o cumprimento da Lei Federal Nº 9696/1998, fortalecendo e consolidando o Sistema CONFEF/CREFs; Aprimorar e aperfeiçoar a integralidade do Sistema CONFEF/CREFs; Investir na valorização e reconhecimento da Profissão e dos Profissionais de Educação Física.

Com esses objetivos em vista, a expectativa é que a profissão e o Profissional de Educação Física sejam cada vez mais valorizados e reconhecidos. Como exemplo, temos a pandemia, vimos que a tecnologia está aí a nosso favor, ampliando o leque de oferta dos serviços.  É natural que caminhemos acompanhando toda a evolução que o mundo atravessa, temos a perspectiva que o futuro nos reserva muito trabalho e dedicação, muitas lutas ainda serão superadas, e no que depender do Sistema CONFEF/CREFs estaremos sempre em vigilância para que tanto os direitos da categoria quanto da sociedade por uma prestação de serviço de excelência sejam incondicionalmente preservados.

  1. Como você resumiria o profissional em uma frase?

É difícil resumir em apenas uma frase. Ser Profissional de Educação Física é orientar as escolhas certas, é fazer com que cada pessoa saiba do seu potencial para alcançar os objetivos. Somos essenciais para construir uma Sociedade com mais Saúde, ativa, feliz e consciente sobre a necessidade de inserir na rotina os hábitos saudáveis.  Promover a qualificação didática, pedagógica, técnica, científica e de gestão profissional, nas áreas da Atividade Física, Esporte, Educação e Saúde.

  1. Como tem sido o investimento nos canais de comunicação e relacionamento com os profissionais e a sociedade, como o da ouvidoria?

O principal canal de relacionamento do CONFEF com a sociedade é a Ouvidoria, plataforma criada com a função de ampliar a comunicação com os diversos públicos com os quais o órgão se relaciona. Através do canal, são atendidos profissionais e estudantes de Educação Física, pessoas jurídicas, entidades de classe, instituições de ensino e sociedade em geral.

Ao valorizar práticas e condutas éticas, através do diálogo com o seu público usuário, a entidade contribui para a garantia de direitos e o fortalecimento da cidadania, por meio do estímulo à participação.

Devido a permanente busca por informações por meio das mídias sociais, o CONFEF dispõe, também, de um atendimento preliminar em seus canais online. Desta forma, além da Ouvidoria, as mídias sociais do CONFEF funcionam como um canal alternativo de comunicação entre os diversos públicos.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui