95% dos executivos veem trabalho híbrido como permanente, diz pesquisa

O estudo “Demanda por talentos no cenário da atual” foi feito online com 1.500 executivos em novembro de 2020 na Alemanha, Bélgica, Brasil, França e Reino Unido.
O estudo “Demanda por talentos no cenário da atual” foi feito online com 1.500 executivos em novembro de 2020 na Alemanha, Bélgica, Brasil, França e Reino Unido.

A pesquisa divulgada pela consultoria de recrutamento especializado Robert Half mostra que, para 95% dos executivos entrevistados, o trabalho híbrido, com rodízio entre home office e no escritório, é visto como parte permanente do cenário de empregos.

O estudo “Demanda por talentos no cenário da atual” foi feito online com 1.500 executivos em novembro de 2020 na Alemanha, Bélgica, Brasil, França e Reino Unido. Entre os entrevistados estão gerentes gerais, diretores financeiros e diretores de tecnologia com responsabilidades de contratação.

Slider

Houve também crescimento significativo na quantidade de empresas oferecendo opções de trabalho remoto em comparação ao período anterior à Covid-19. De abril a dezembro do ano passado, 80% das vagas trabalhadas pela Robert Half foram para posições 75% ou 100% remotas. Essa tendência deve se manter ao menos pelos próximos seis meses. Em 2019, apenas 5% tinham essa característica.

Os principais benefícios no uso de equipes híbridas incluem a criação de oportunidades de melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional aos trabalhadores e redução de custos de escritório para as empresas.

Expectativas otimistas

Na média global entre sete países, 67% dos trabalhadores entrevistados estão otimistas em relação às oportunidades de carreira em 2021, no Brasil, o índice chega a 73%. Mais da metade dos profissionais brasileiros (52%) espera um aumento de salário este ano, contra 57% da média global. E para 65% dos trabalhadores no Brasil, a jornada ideal para aliviar o peso da jornada de trabalho e o burnout em 2021 é a flexível.

Em nível global, 68% esperam permanecer trabalhando de casa entre um e três dias na semana e 49% desejam experimentar uma jornada “comprimida”, de quatro dias. Mais da metade (58%) dos profissionais brasileiros pensaram em se mudar para outra cidade ou país enquanto trabalhavam remotamente nos últimos meses, contra 39% da média global.

Fonte: G1.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui