Telemedicina aplicada à cardiologia

Telemedicina aplicada à cardiologia

Atualmente, as doenças cardiovasculares representam a maior causa de morbidade e mortalidade no mundo todo. Isso se deve, principalmente, à elevada prevalência de hipertensão arterial sistêmica (HAS), arritmias e insuficiência cardíaca.

No Brasil, a HAS acomete aproximadamente 25% da população do país, o que se torna uma grande preocupação em saúde, já que a HAS é considerada fator de risco independente para aumento do risco cardiovascular e, consequentemente, para aparecimento de outras doenças.

Telemedicina aplicada à cardiologia

Neste cenário, a telemedicina aplicada à cardiologia, também chamada de telecardiologia, tem se mostrado uma ferramenta eficaz no cuidado integral e longitudinal da saúde dos indivíduos, pois encurta distâncias entre o médico e o paciente.

A telecardiologia auxilia diretamente na promoção da saúde e prevenção primária e secundária de doenças cardiovasculares, contribuindo, assim, para a redução da morbimortalidade da população.

Ela também permite o acompanhamento mais estreito e constante do paciente, mostrando-se eficiente nos seguintes aspectos:

  • Controle dos fatores de risco para doença arterial coronariana;
  • Melhora do controle da pressão arterial;
  • Controle glicêmico em pacientes diabéticos;
  • Melhora do perfil lipídico;
  • Redução do peso;
  • Aumento do sucesso de programas de cessação do tabagismo.

Diagnósticos

Além disso, a telecardiologia pode auxiliar em diagnósticos através da interpretação de exames e elaboração os laudos de imediatos.

tele-eletrocardiografia, um a modalidade diagnóstica da telemedicina, é considerada uma ferramenta bastante útil, uma vez que se trata de uma tecnologia simples, de baixo custo e que auxilia em situações emergenciais, como, por exemplo, no diagnóstico de arritmias e síndromes coronarianas.

Pontos positivos

Diante disso, não há dúvidas de que a telemedicina chegou para revolucionar o cuidado da saúde. Alguns pontos positivos da telecardiologia são:

  • Promoção da saúde;
  • Prevenção de doenças cardiovasculares;
  • Controle de fatores de risco;
  • Telediagnóstico.

Porém, isso tudo só é possível graças aos avanços concomitantes das pesquisas e investimento na tecnologia na área cardiológica.

Fonte: Telemedicina Conexa

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui