Copacabana Palace fecha pela primeira vez em 97 anos devido ao coronavírus

Copacabana Palace fecha pela primeira vez em 97 anos devido ao coronavírus

O Hotel Copacabana Palace fechará pela primeira vez em 97 anos, desde sua construção, devido à pandemia do novo coronavírus.

Na próxima segunda-feira (13), os últimos hóspedes terão que deixar o hotel. Segundo o portal UOL, somente dois moradores poderão permanecer no local: Andrea Natal, diretora geral do Grupo Belmond do Brasil, que administra o espaço; e o cantor Jorge Ben Jor que vive no local desde 2018.

Em entrevista ao jornal O Globo, Natal disse que no mês passado começou a estranhar algumas situações.

“Nossa previsão de ocupação para março era de 70%, e fechamos o mês com 36%. Até começamos bem, mas a partir de meados do mês, quando o turismo global começou a ser mais afetado, com muitos cancelamentos de voos, a queda foi abrupta. Isso justamente num ano que começou promissor. Tivemos um carnaval inesquecível, nosso baile foi talvez o melhor dos últimos tempos. Parecia que vivíamos uma era de ouro.”

Conforme divulgado pela ABIH/RJ (Associação Brasileira de Hotéis), na última segunda-feira (06), pelo menos outros 60 hotéis interromperam as suas atividades na cidade do Rio de Janeiro, incluindo o Fasano, outro hotel de luxo.

Conforme divulgado pela administração, a reabertura do hotel de luxo está “prevista” para o final de maio. Mas, operadores do setor acreditam que só deverá ocorrer no segundo semestre.

História

O Hotel Belmond Copacabana Palace foi construído pelo empresário Octávio Guinle e Francisco Castro Silva entre 1919 e 1923, atendendo a uma solicitação do então presidente Epitácio Pessoa (1919-1922), que desejava um grande hotel de turismo na então capital do país, para hospedar o grande número de visitantes esperados para a grande Exposição do Centenário da Independência do Brasil, um evento de dimensões internacionais a ser realizado na esplanada do Castelo, em 1922.

Em compensação, o Governo Federal concederia incentivos fiscais, assim como a licença para que nele funcionasse um cassino, uma das principais exigência do investidor.

Em 1985, projetou-se a sua demolição. No entanto, o Copacabana Palace tornou-se patrimônio histórico, sendo tombado nas esferas federais (IPHAN), estadual (INEPAC) e municipal (SEDREPAHC).

Em Dezembro 2018 o grupo LVMH confirmou a compra do Copacabana Palace e demais hotéis da rede Belmond em um grande transação de US$ 3,2 bilhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui