O Produto Interno Bruto (PIB) de Dubai deve crescer mais entre 2019 e 2022, após desaceleração em 2018, de acordo com pesquisa da agência de classificação de risco Standard & Poor’s (S&P Global Ratings). A notícia é do jornal Arabian Business. No ano passado, a economia de Dubai avançou 1,94%.

A agência avaliou que uma recuperação nos próximos três anos, com crescimento médio de 2,5%, seria apoiada pelo aumento da atividade econômica associada à Expo 2020 e, passado o período do evento, pelos mecanismos tradicionais de crescimento, como comércio e transporte. A Expo 2020 é uma exposição mundial que terá sede no emirado e acontecerá por seis meses, entre outubro de 2020 e abril de 2021.

O PIB de Dubai deve crescer após ter registrado o crescimento mais lento em nove anos no ano passado, diz a pesquisa. Neste novo relatório, a S&P informa que as condições macroeconômicas de Dubai se desgastaram desde 2013, em parte devido aos preços mais baixos do petróleo e ao enfraquecimento das relações políticas regionais.

“Esperamos uma recuperação marginal do crescimento econômico para 2,4% em 2019, com apoio vindo em grande parte dos setores imobiliário e de construção. Aguardamos a conclusão dos projetos de infraestrutura relacionados à Expo 2020 e a construção de residências adicionais ainda este ano”, disse a agência.

Um impulso no turismo e nos gastos relacionados à Expo 2020 devem resultar num crescimento mais robusto em 2020, segundo a S&P. No entanto, após o evento, o crescimento econômico provavelmente diminuirá para cerca de 2% até 2022. “Os preços relativamente baixos do petróleo, acompanhados por uma demanda regional mais lenta e o protecionismo crescente dos Estados Unidos e da China, poderiam retardar ainda mais os fluxos comerciais de transbordo de Dubai, que estão lentos desde 2016”, observou o relatório.

Expo 2020

A Expo 2020 é uma exposição mundial organizada pelo Bureau International des Expositions a ser realizada na cidade de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, no período de seis meses, entre 20 de outubro de 2020 e 10 de abril de 2021.

O acontecido é um dos mais importantes eventos mundiais, é uma feira internacional que reúne diversos setores, como: empresas privadas, ongs e instituições governamentais, todas destinadas a discutir temas como negócios, tecnologia, urbanismo, sustentabilidade, ciências, cultura, gastronomia e economia.

Com uma verba de US$ 7,5 bilhões destinada a realização da Expo, Dubai estima um retorno de US$ 20 bilhões e a criação de 270 mil empregos ligados ao comércio e serviços.

As cidade que disputaram a Expo 2020 foram: İzmir, Ecaterimburgo, São Paulo e Dubai e a etapa final da eleição ocorreu no dia 27 de novembro de 2014, em Paris, França, em votações realizadas em 3 etapas (ou 3 rodadas de votos).

São Paulo foi eliminada na primeira etapa, com apenas 13 votos. Na segunda etapa, as três cidades restantes receberam 36, 87 e 41, com uma abstenção, respectivamente para İzmir, Dubai e Ecaterimburgo, ficando de fora a menos votada. Na etapa final e concorrendo apenas Dubai e Ecaterimburgo, a cidade russa recebeu 47 contra 116 para Dubai.

Com o tema “Conectando Mentes, Criando o Futuro”, Dubai se tornou a primeira cidade do Oriente Médio a sediar o evento, realizado desde meados do século XIX.

Economia aquecida

Dubai contribui com uma quantia significativa para o setor não-petrolífero dos Emirados Árabes Unidos, que representa cerca de 70% do PIB real do país. Segundo estimativas da S&P, o comércio exterior de Dubai responde por cerca de 72% do comércio total não-petrolífero dos Emirados Árabes.

A economia dos Emirados Árabes Unidos deve continuar enfrentando desafios no médio prazo, em parte por causa do momento de crescimento mais suave em Dubai. O crescimento econômico dos Emirados aumentará para 2,6% até 2020, ante 1,7% em 2018, em parte devido ao aumento da atividade econômica associada a Expo 2020, concluiu o relatório.

Embora a economia de Dubai tenha sido construída através da indústria do petróleo, as receitas de petróleo e gás natural representam atualmente menos de 6% das receitas do emirado. Estima-se que Dubai produz 240.000 barris de petróleo por dia e quantidades substanciais de gás em campos. O emirado possui 2% das reservas de gás dos EAU. As reservas de petróleo de Dubai diminuíram significativamente e estima-se que se esgotarão em 20 anos. Os setores Imobiliário e de Construção (22,6%), Comércio (16%), entreposto (15%) e de serviços financeiros (11%) são os maiores contribuintes para a economia de Dubai.

Um levantamento da City Mayors classificou Dubai com a 44ª melhor cidade financeira do planeta, enquanto outro relatório da City Mayors indicou que Dubai é a 27ª cidade mais rica do mundo, em termos de paridade do poder de compra (PPC).

(ANBA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui