De acordo com o índice Bloomberg Billionaires Index divulgado na última semana, as 500 pessoas com mais dinheiro do mundo adicionaram US$ 1,2 trilhão no total às suas fortunas. As informações são da Bloomberg.

O líder dos ganhos de 2019 foi o magnata francês Bernard Arnault, que acrescentou US$ 36,5 bilhões à sua fortuna para se tornar a terceira pessoa mais rica do mundo. Arnault ficou conhecido por ter dado escala a grifes como Dior e Louis Vuitton e ganhou até mesmo o apelido de “predador”.

Em compensação, 52 pessoas viram sua fortuna declinar no ano. O fundador da Amazon, Jeff Bezos, por exemplo, está entre os nomes. Ele viu o seu patrimônio diminuir em quase US$ 9 bilhões por conta de um acordo de divórcio que fez com a sua ex-esposa MacKenzie Bezos. Mesmo assim, ele vai terminar o ano como a pessoa mais rica do mundo com uma fortuna equivalente a US$ 116 bilhões.

Os mais endinheirados

Na liderança dos países com maior número de endinheirados, os bilionários norte-americanos adicionaram US$ 500 bilhões às suas fortunas. Entre os destaques estão o fundador do Facebook Inc., Mark Zuckerberg, que acrescentou US$ 27,4 bilhões e o co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que adicionou US$ 22,7 bilhões no bolso neste ano. 

Atrás dos Estados Unidos, que têm 172 bilionários, os chineses estão aumentando sua presença no grupo. Segundo o índice divulgado na última semana, o número de endinheirados no país subiu para 52. 

Entre os chineses que mais aumentaram a sua fortuna está He Xiangjian, fundador do maior exportador de ar-condicionado da China. Neste ano, ele viu sua riqueza subir 79% e saltar para US$ 23,3 bilhões. Mesmo assim, ele terminou o ano na quadragésima quarta posição no ranking divulgado pela Bloomberg. 

Já na lista dos brasileiros mais endinheirados do ano há apenas 11 nomes. Na quadragésima terceira colocação está o empresário Jorge Paulo Lemann, que acrescentou US$ 4,24 bilhões à sua fortuna neste ano e que retomou a liderança dos mais ricos do país. Na sequência, estáJoseph Safra que adicionou US$ 3,21 bilhões de dólares e que comandou por décadas o Banco Safra, fundado por seu pai em 1955. 

Nem tão afortunados 

Mas nem tudo foram flores. A fortuna pessoal de Rupert Murdoch diminuiu em cerca de US$ 10 bilhões depois que o valor arrecadado com compra de ativos da Walt Disney Co. pela Fox foram distribuídas aos seis filhos do empresário, tornando-os bilionários também.

Outro que também viu a sua riqueza cair foi Adam Neumann, fundador da rede de escritórios compartilhados WeWork. Ele viu sua fortuna implodir – pelo menos no papel – quando o valor da empresa caiu para US$ 8 bilhões em outubro, ante os estimados US$ 47 bilhões no início do ano. Ainda assim, o pacote de resgate do SoftBank Group Corp. deixou o status de bilionário do empresário intacto. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui