O que faz a fama de um pequeno aeroporto no Maine, Estados Unidos, não são seus apenas dez voos regulares por dia. Em Bangor, o que chama a atenção são os voos não programados que costumam pousar por ali. Há mais de cem pousos de emergência todos os anos, com uma média de mais de duas aterrissagens por semana.

Os voos regulares no aeroporto de Bangor são feitos com aeronaves comerciais pequenas, normalmente com capacidade para até 50 passageiros, como o Embraer 145 ou o Bombardier CRJ200. Mas a pista de 3.487 metros pode receber qualquer modelo de aeronave. É essa capacidade e sua localização que faz com que Bangor seja conhecido como um aeroporto para pousos de emergência.

Localizado no extremo nordeste dos Estados Unidos, o aeroporto é a última opção de pouso para os voos que deixam o país em direção à Europa e o primeiro para os aviões que acabam de cruzar o oceano Atlântico. Quando há algum problema no voo, Bangor passa a ser a melhor alternativa para um pouso não programado.

Maioria dos casos é para reabastecimento

Ao cruzar o Atlântico norte, os aviões estão sujeitos a fortes rajadas de vento. Quando elas são mais intensas do que o esperado, isso pode reduzir a velocidade do avião e fazer com que o consumo de combustível aumente durante a viagem. Ao constatar esse problema, os pilotos precisam fazer um pouso não programado para reabastecimento. Essa é a maior razão para os pousos de emergência em Bangor.

Problemas que levam às aterrissagens:

Combustível: 60,5%

Meteorologia: 21,7%

Saúde dos passageiros: 8,1%

Problemas mecânicos: 7,7%

Segurança: 2%

Parada para voos militares e executivos

Além de voos comerciais, o aeroporto também costuma receber aviões militares que estão retornando com tropas em missões especiais e aviões em voos de traslado para a Europa. Bangor também é uma das alternativas para pousos de emergência de naves espaciais da Nasa.

O aeroporto de Bangor é uma parada obrigatória para aviões de menor porte e jatos executivos que viajam dos Estados Unidos à Europa. Com menor autonomia de voo, eles fazem um pouso programado em Bangor para abastecer e, assim, poder cruzar o Atlântico. São cerca de 10 mil voos por ano nessas condições.

Infraestrutura de aeroporto internacional

Para lidar com tantas situações, o aeroporto de Bangor tem uma infraestrutura muito maior do que aquela que a necessária para atender apenas voos normais.

Embora o aeroporto não tenha voos internacionais regulares, a alfândega e a imigração funcionam 24 horas por dia. Além disso, há serviço completo de suporte aos aviões, como abastecimento, serviço de carga e facilidades para embarque e desembarque de passageiros.

Na semana passada, o aeroporto também anunciou um investimento de US$ 178 mil para melhoria de alguns serviços do aeroporto, novas pontes de embarque, balcões de check-in e novos sistemas de tecnologia para administração do terminal.

(Uol Business)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui