O blockchain e o setor bancário continuam a ultrapassar novos limites com a tecnologia relativamente não testada, oferecendo muitas promessas e potencialidades, mas ainda não encontrando muitos usos diretos. O HSBC, uma das maiores organizações de serviços bancários e financeiros do mundo, com sede em Londres, planeja dar um passo ousado de US$ 20 bilhões.

O banco transferirá os ativos para uma nova plataforma de custódia baseada em blockchain até março. Essa é uma grande melhoria do sistema anterior, pois a plataforma HSBC digitaliza os registros em papel das colocações privadas. Usando o blockchain para reduzir o tempo que os investidores levam para fazer cheques ou consultas em holdings, a nova plataforma HSBC, conhecida como Digital Vault, dará aos investidores acesso em tempo real aos registros de valores mobiliários comprados em mercados privados.

O HSBC espera que o valor global dos canais privados atinja US$ 7,7 trilhões até 2022, um salto de 60% em relação aos cinco anos anteriores. No mesmo período, ele acredita que as alocações dos clientes de gestores de ativos crescerão de 9% para 20%, de acordo com o relatório.

Tornou-se aparente com o surgimento da tecnologia blockchain que há muito a ser ganho para os bancos, caso eles escolham adotar a tecnologia dinâmica. Empresas como o JP Morgan passaram do Bitcoin para a criação de sua própria criptomoeda.

São exemplos como esse que mostram como a modernização de certos aspectos do setor bancário se tornou importante. O uso da manutenção de registros em papel para ativos que chegam a US$ 50 bilhões é extremamente benéfico. Os bancos agora estão começando a perceber que o próximo passo nesta evolução não é aceitar o que há para oferecer, mas sim definir uma tendência.

A decisão do HSBC de investir em ativos na tecnologia blockchain está sendo anunciada como uma das maiores implementações na tecnologia transparente e instantaneamente disponível. Mas, seu sucesso não será imediatamente visível, de acordo com Windsor Holden, consultor independente que rastreia blockchain e criptomoedas. “Eu não esperaria ver grandes economias ou grandes eficiências anunciadas no primeiro ano a 18 meses”, disse ele.

CONFIANÇA

A blockchain (também conhecido como “o protocolo da confiança”) é uma tecnologia de registro distribuído que visa a descentralização como medida de segurança. … A blockchain é vista como a principal inovação tecnológica do bitcoin visto que é a prova de todas as transações na rede.

(ForbesIn)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui