Um juiz federal decidiu na segunda-feira (25) que os principais assessores presidenciais devem cumprir as intimações do Congresso, rotulando como “ficção” os argumentos do governo Trump em contrário. A decisão significa que o ex-advogado da Casa Branca, Donald McGahn, deve testemunhar perante os investigadores do impeachment da Câmara sobre os esforços do presidente Trump para obstruir a investigação de Robert Mueller.

O Departamento de Justiça disse que apelaria da decisão, o que poderia ter consequências mais amplas para o inquérito de impeachment. John Bolton, ex-conselheiro de segurança nacional, quer que um juiz decida se uma intimação do Congresso por seu testemunho é constitucionalmente válida.

Democratas no Comitê de Inteligência da Câmara planejam entregar um relatório logo após o Dia de Ação de Graças defendendo o impeachment de Trump, de acordo com o presidente do painel, o deputado Adam Schiff.

Nova Teoria

O episódio de hoje é sobre a teoria desacreditada de que a Ucrânia, não a Rússia, tentou influenciar as eleições de 2016.

Relatórios

A Suprema Corte bloqueou temporariamente a divulgação dos registros financeiros de Trump. O tribunal pode anunciar se ouvirá o caso nas próximas semanas e, se ouvir, emitirá uma decisão até junho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui