Um bar onde o cliente pode fazer a própria cerveja. A proposta vem do trio de empresários Roberto Bueno, Maurício Leibovitz e Daniel Fraga, que inaugurou na última sexta-feira (22), na Alameda, em Blumenau, o My Beer. Com uma mistura de pub com fábrica, o espaço de 475 metros quadrados traz um conceito inédito no Brasil, garante Bueno.

O My Beer foi montado em uma casa de dois andares. No térreo fica o pub, dividido em duas áreas: uma coberta, onde fica o bar, e outra com mesas ao ar livre, ambas abastecidas com uma gastronomia de iguarias de boteco. No piso superior foi montada uma mini-fábrica de cerveja. Ali os clientes, mesmo os mais leigos, podem produzir a própria cerveja seguindo 10 passos.

Tudo começa na tela de um tablet. Nela o visitante, ou um grupo de até 10 pessoas, encontra um cardápio de 15 tipos de cerveja. Basta um toque para escolher o estilo. Depois, parte-se para a definição do teor alcoólico, do amargor e da cor final da bebida.

Com variações desses três características e seus parâmetros mínimos e máximos, é possível fazer mais de 800 combinações da bebida, elaboradas por meio de um software que a própria casa desenvolveu. Passada essa rápida etapa, o visitante tem a opção de acompanhar o processo de produção, desde a pesagem e moagem do malte até a brassagem.

A cerveja, claro, não fica pronta na hora. A preparação, que inclui ainda a fermentação e a maturação, leva de 30 a 40 dias, dependendo do estilo. Depois de todo esse processo, o cliente pode escolher se quer envasar a receita em barris ou garrafas com um rótulo personalizado – a My Beer oferece alternativas de templates customizáveis.

A bebida pode ser consumida no próprio bar ou entregue em casa. A produção mínima é de 40 litros, podendo chegar a 100, e o custo, segundo Bueno, é “o de mercado”. Nesta proposta, enfatiza o empresário, o lucro não é o principal.

O My Beer também terá uma pequena loja com itens como copos, canecos, bolachas, camisetas e abridores, mas não tem e nem pretende ter uma marca própria de cerveja. Segundo Bueno, a proposta é estimular as pessoas a fazerem cervejas personalizadas para serem consumidas com a família e os amigos.

O investimento total no negócio, incluindo reforma do imóvel, consultorias, compra de equipamentos e instalação das câmaras frias, foi de R$ 1,3 milhão. A ideia dos empreendedores é maturar o negócio com operações próprias – Itajaí, Curitiba e Porto Alegre já estão no radar de expansão – e, no futuro, torná-lo uma rede de franquias com 250 unidades espalhadas pelo país.

(NSC)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui