Antes de apresentar as vantagens e desvantagens na compra de criptomoedas e como o seu investimento pode ser feito é importante definir o conceito de criptomoedas para você.
As criptomoedas são moedas digitais, criadas em 2008, por um programador com pseudônimo de Satoshi Nakamoto. São códigos virtuais, que podem ser convertidos em valores reais, e que são protegidos pela criptografia e pela tecnologia de blockchain, que garantem a segurança de todas as transações, que são feitas 100% pela internet.
 
O sistema de blockchain é uma espécie de livro-registro, descentralizado, público e compartilhado, que permite que todos os usuários chequem as operações que acontecem a todo momento, de forma transparente. A negociação de criptomoedas ocorre com comunicação direta entre as partes (quem compra e quem vende), sem a regulação do Estado ou a interferência de qualquer autoridade financeira e sem o pagamento de taxas.
 
Apesar de terem sido criadas em 2008, a ascensão das criptomoedas ocorreu em 2017, pela supervalorização do Bitcoin – a primeira criptomoeda a ser lançada. Em 2011, essa moeda digital era comercializada no valor aproximado de R$ 38 e em dezembro de 2017 chegou a valer R$ 55.000, uma rentabilidade de 150.000% em 6 anos.
 
Para ficar mais claro, se você tivesse comprado R$ 1.000 de Bitcoin em 2011, você chegaria em 2017 com R$ 1.500.000. Parece loucura né? Mas aconteceu.
Por essa valorização e pelo grande volume de transações, o Bitcoin é hoje a criptomoeda mais conhecida e uma referência para o mercado digital, sendo usada como base para calcular o preço das outras moedas à venda. Se comporta de forma semelhante ao dólar no mercado financeiro.
 
No entanto, em 2018, por exemplo, o Bitcoin apresentou uma queda de 50% de seu valor de mercado. Em janeiro estava valendo em torno de R$ 45.000 e em outubro já valia aproximados R$ 25.000.
 
O Bitcoin não é a única moeda existente ou considerada a melhor de se investir. Existem hoje milhares de outras moedas digitais registradas no mercado virtual, que são chamadas de altcoins, como é o caso da Ethereum e da Ripple.
 
 
 
(Época Negócios)
Sistema RPBrasil de Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui