STARTUPS DE DRONES SEM DECOLAR

https://drive.google.com/uc?export=view&id=1heaF3I1n9Qc2KVA-NFlCBrZ1_itprrEQ

Novas empresas de drones invadiram o mercado no início da década, repletas de capital de risco em caixa e eufóricas com visões de aeronaves não tripuladas sendo usadas para tudo, desde a entrega de pacotes até a fertilização de terras agrícolas. 

Aeronaves não tripuladas ainda são vistas como um pilar do futuro. Mas, por enquanto, todo esse entusiasmo agora ganha um balde de água fria de realidade. 


Algumas das maiores startups começaram a fechar as portas no ano passado, depois de queimar centenas de milhões em capital de risco investido em um setor incipiente que, apesar das previsões de forte crescimento, está demorando mais para amadurecer do que o esperado. 


Outras dezenas estão sendo arrastadas por uma onda de consolidação, enquanto empresas de drones buscam um nicho lucrativo em um mercado em rápida mudança. 


“Houve um pouco de irracionalidade em relação aos drones, um período de euforia impulsionado pela popularidade do setor de hobby", disse Kay Wackwitz, fundador e presidente do grupo de pesquisa Drone Industry Insights. "Estamos superando isso, e as pessoas estão voltando à realidade." 

Enquanto startups com recursos competem com um crescente número de pilotos independentes que reduzem os preços, a tecnologia chinesa avança e as empresas fora do setor de drones implementam operações aéreas não tripuladas internas. A regulamentação federal para drones não acompanha os avanços com a mesma rapidez e impede a expansão de muitas empresas.


(Bloomberg) 

Comentários