PLANO DE SAÚDE, DIFÍCIL MANTER

https://drive.google.com/uc?export=view&id=1neleAQXPbBYTngiqTOItOayK6JPT7yZW

Com a economia brasileira ainda estagnada e alto índice de desemprego, os planos de saúde têm sido a escolha para diminuir os gastos no orçamento dos consumidores. Só no Ceará, 35 mil pessoas abdicaram dos seu plano nos últimos cinco anos. 

O vice-presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças do Ceará (Ibef-CE), Raul Santos, explica que o número de contratantes individuais e familiares é o que mais flutua. “Quando ocorre um abalo na renda da pessoa física, ela vai cortando os gastos. O desemprego é o principal fator, mas muito atrelado à questão do próprio custo. Enquanto o plano individual é muito caro, o corporativo amortece no preço", avalia. 

(OPOVO) 


Comentários