Torne seu negócio atrativo para as novas gerações com as dicas de Flavio Valiati, fundador do Vamos Subir e palestrante do We Are Omie.

Eles querem variedade de experiências, oportunidades de desenvolvimento e crescimento rápido na carreira. “Saber gerenciar as expectativas da nova geração é fundamental para retê-la e aproveitar todo o seu potencial de realização nas empresas”, afirma Flavio Valiati, fundador do Vamos Subir (projeto de aceleração profissional de jovens) e executivo de vendas da Zendesk (desenvolvedora de software de customer experience).

A ansiedade dos jovens, no entanto, demanda especial atenção por parte do gestor. “Eles acham que já estão prontos para toda e qualquer situação. Mas, na prática, ainda precisam de líderes que os inspirem e guiem”, diz o fundador do Vamos Subir.


Propostas de estabilidade no emprego e salário compatível com o mercado já não são suficientes para atrair jovens talentos.

Ele subirá ao palco do We Are Omie, evento organizado pela fintech Omie no dia 8 de agosto em São Paulo, para participar da trilha ‘Marketing e vendas de resultados’.

Com novos valores e mais sensível a causas sociais, a geração que agora chega ao mercado se destaca pelo imediatismo, busca de propósito e satisfação no trabalho e senso de pertencimento. “Para mantê-los, o empreendedor precisa dar espaço para que cresçam, sem podar seu potencial e capacidade de execução”, afirma Valiati.

Segundo ele, experiências que vão ao encontro de seus objetivos e valores podem se tornar mais relevantes até mesmo que a ascensão na hierarquia.

Confira a seguir as dicas de Valiati para contratar jovens talentos: 

– Valorize a convivência de gerações

Ajude os colaboradores mais antigos a compreender que a união de forças com a nova geração é o impulso que falta para a empresa inovar e crescer ainda mais.  “Incentive-os a se envolver nesse propósito e se reinventar”, diz Valiati. Fomente também a cultura do intercâmbio de conhecimentos. “Independente da fase de vida e maturidade profissional, todos têm sua própria história, saberes e coisas importantes para aprender e ensinar.”

– Alicerce o crescimento
Garanta espaço para que os jovens construam novas soluções ao mesmo tempo em que passam por sessões de coach e mentoria. Pode ser com o dono do negócio, o gerente da área ou simplesmente um profissional mais experiente que os ajude a ser desenvolver.


– Defina um plano de carreira

Estabeleça metas e indicadores de resultados para gerenciar melhor as expectativas dos mais jovens em relação ao aprendizado e crescimento na empresa. “Os critérios não devem se resumir a números, mas considerar postura, maturidade, relacionamento com pares e superiores, desenvolvimento de novas competências e habilidades, entre outros”, diz o fundador do Vamos Subir. Quanto mais clareza nos parâmetros, mais rápido os profissionais da nova geração tendem a se desenvolver.


– Recompense os resultados

Atrele o atingimento de metas a um programa de reconhecimento, que não necessariamente tem que ser financeiro. “A recompensa pode vir em forma de autonomia para tomar decisões, mais responsabilidade – por exemplo, para liderar um time –, novas oportunidades de aprendizado ou ainda experiências que os aproximem de seus objetivos e valores”, afirma Valiati.


– Preze pela transparência

O que mais desmotiva os jovens nas empresas é a falta de oportunidade ou clareza. “Muitos saem porque acham que nunca serão promovidos”, diz Valiati. A causa, que contém uma boa dose de insegurança, revela também outra característica da nova geração. “Eles querem ter total controle sobre os passos que darão.”


Comportamento e atitude são diferenciais
Com o projeto Vamos Subir, fundado em 2015, Valiati já impactou mais de 100 mil jovens em início de carreira. O objetivo é capacitar a nova geração para acelerar sua entrada e ascensão no mercado de trabalho. “Nosso foco está no desenvolvimento de atitudes e comportamentos, que podem chegar a valer mais que conhecimento técnico”, diz o fundador.

Com o suporte de dez voluntários e mais de 100 empresas parceiras, a iniciativa oferece lives, webinars, seminários e workshops sobre competências específicas para as áreas de vendas, marketing, atendimento ao cliente e tecnologia.

Entre os palestrantes, estão executivos de marcas como Google, Sales Force, McDonald’s, Zendesk, Oracle e Omie, entre outras. Para participar das ações presenciais, basta doar um quilo de alimento não perecível.

A programação mais esperada, no entanto, é a semana de imersão. Nela, os jovens estudam conceitos, processos e tecnologias para construir casos reais de solução de problemas e apresentam às empresas convidadas.

É nessa ocasião também que muitos acabam sendo contratados. “Em fevereiro deste ano, em um evento feito na Omie, mais de 50% foram selecionados”, diz Valiati. Segundo ele, uma boa parte retorna ao projeto de forma voluntária para ajudar outros participantes.
(PEGN)

Sistema RPBrasil de Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui